A criança não morreu ali…

Kevin Carter, ao serviço do The New York Times, fotografou, em 1993, uma criança sudanesa caída no chão, sbunutrida e sem forças. No mesmo plano aparecia um abutre que parecia esperar pacientemente pela morte do bebê, para o comer. Com a fotografia, Carter venceu o prémio Publitzer em 1994, mas acabou por se suicidar aos 33 anos, sem conseguir aguentar as críticas por não ter optado por ajudar o bebê. O diário espanhol El Mundo foi à procura da criança sudanesa e descobriu que afinal ela não morrera naquela altura, mais quatro anos depois. Camava-se Kong Nyong e, segundo o pai, não resistiu a “febres”.

Enfim isto não vem ao caso, o que preciso resaltar é SITUAÇÕES de crianças morrendo de fome, morrendo de gripe ou malária ainda acontecem aos MILHARES na África.

Precisamos fazer alguma coisa, mobilizar pessoas para ajudar, orar, ir, quando queremos ajudar FAZEMOS, quando não queremos arrumamos DESCULPAsss….

Religião realmente não salva ninguém. Mais Cristianismo verdadeiro e REAL pode salvar e transformar sociedades.

FAÇA PARTE – FAÇA ALGUMA COISA

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo